MINISTRAÇÕES

Ver Mais

OUTRAS MINISTRAÇÕES

Semana 51 - A consagração para conquistar
Semana 50 - Tomando posse do milagre
Semana 49 - O propósito do milagre
Semana 48 - Curando através da enfermidade
Semana 47 - Levando Deus a sério
Semana 46 - Vivendo acima dos problemas

PALAVRA PASTORAL

2020

A Vitória Poderosa da Fé

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 3 jan

Deus está entre nós

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 20 dez

Deus está entre nós

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 20 dez

A consagração para conquistar as promessas

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 13 dez

Semana 51 - A consagração para conquistar As promessas

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 13 dez

Semana 50 - Tomando posse do milagre

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 6 dez

Semana 49 - O propósito do milagre

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 29 nov

Curando através da enfermidade

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 22 nov

Semana 48 - Curando através da enfermidade

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 22 nov

Levando Deus a sério

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 15 nov

Semana 47 - Levando Deus a sério

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 15 nov

Vivendo acima dos problemas!

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 8 nov

Semana 46 - Vivendo acima dos problemas

Crescimento em Deus
Pr. Joel Stevanatto 8 nov
Crescimento em Deus

A Vitória Poderosa da Fé

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 3 de janeiro

A Vitória Poderosa da Fé –
03 de Janeiro de 2021
Hebreus 11.17-19

A verdadeira fé existe quando a Palavra de Deus é reconhecida como a bússola indicativa de como devemos viver. Essa fé genuína se expressa como uma resposta daquele que crê e confia que Deus sabe o que faz. Se relativizarmos a voz de Deus, abandonaremos a fé bíblica e marcharemos aceleradamente para a apostasia. Quando o Senhor prova Abraão pedindo-lhe seu filho Isaque, está buscando três atitudes: obediência, adoração e confiança. Aprendemos que para Abraão obedecer, ele precisava vencer a racionalidade, pois não havia lógica em sacrificar aquele sobre quem repousava a promessa de descendência poderosa feita pelo próprio Deus. Já para adorar, era preciso vencer as emoções e sentimentos, pois sacrificar o próprio filho não seria uma ação fria e destituída de agonia emocional, todavia, a obediência requeria um sacrifício das emoções antes mesmo de um sacrifício físico. Também, assim como Abraão, todos que desejam conhecer o poder realizador da fé, precisam vencer o medo, pois o ato de obediência exige disposição e coragem. Para o patriarca a obediência colocava em jogo não apenas a vida do seu único filho, mas também a promessa e a reputação de Deus, afinal se Isaque morresse também morreria a fé num Deus que promete, cumpre e sabe o que faz.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2021
Pr. Joel Stevanatto
Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Deus está entre nós

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 20 de dezembro

Deus está entre nós – 20 de Dezembro de 2020
João 1.14

 

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória,             glória como do unigênito do Pai.”

Sem dúvida, o nascimento de Cristo ocorrido há 2020 anos atrás, marcou e impactou toda a história da humanidade! Mas você já se perguntou qual foi o impacto do nascimento de Cristo em sua vida? O nascimento de Jesus impactou a sua história pra valer, ou foi apenas uma informação? Alguns tiveram suas vidas tremendamente mudadas; outros, porém, não se importaram tanto. Mas fato é, que o nascimento de Cristo mudou a história! Haja vista que temos o registro da história “AC / DC”. E sabemos que nem a morte O pode deter! Alguns foram apenas “incomodados” com o nascimento de Jesus, mas não tiveram mudança de vida; outros, porém, foram fortemente transformados por Ele! Vamos hoje pensar sobre isso.

Analisando o versículo acima citado, concluímos que o nascimento de Jesus não é apenas uma data registrada pela representação do Natal; na verdade, ele é repleto de significado. E só aqueles que veem, que conhecem, e que se permitem envolver com a graça, a verdade e a glória têm as suas vidas mudadas por Jesus! Esta é a única maneira pela qual é possível conhecê-Lo hoje. Pois quem experimenta desta graça, desta verdade, e desta glória, não consegue mais viver sem Ele! E isso é maravilhoso!

Só que depois de conhecer a graça, a verdade e a glória, ainda é preciso aprofundarse mais! A questão é que, infelizmente, nem todos expressam esse interesse; tanto que dos 500 declarados cristãos daquela época (dentre 650 mil habitantes da Palestina) apenas 120 estavam reunidos, aguardando a promessa. Vejamos agora o que representam essa graça, verdade e glória, e como elas impactam as nossas vidas:

  • GRAÇA – Representa a suficiência compensatória em tudo. II Co 12.9: “A minha Graça te basta”. A Graça nos traz compensação diante das perdas e dificuldades da vida. Ela é suficiente para se viver bem. Seja qual for a inquietação, assim como foi com o apóstolo Paulo, a Sua graça nos basta!

 

  • VERDADE – Força sustentadora em tudo. II Co 13.8: “Porque nada podemos contra a verdade, senão a favor da verdade.” Quem tem a verdade é forte! Tem segurança, não se abala, sabe que tem estabilidade, porque essa força sustentadora o mantém.

 

  • GLÓRIA – Significância produtiva. Jo 17.22-23: “Eu lhes transmiti a glória que me deste, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.” O maior ministério cristão é manter a unidade. A unidade produz evangelização e vida comunitária. A unidade do Espírito está na igreja, e cabe a nós nos esforçarmos a fim de mantermos esta unidade.

 

Nosso pr. Joel conclui que, Jesus nasce na vida de quem vê e é impactado por sua Graça, por sua Verdade e por sua Glória. Pessoas religiosas que não tem o impacto da Graça, da Verdade e da Glória em suas vidas, não desfrutam dessa bênção, pois vivem apenas na lei religiosa. Como está escrito em Jo 1.17: “Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.” Vejamos as diferenças:

  • A Lei não tem Graça, mas peso; pois são ordens duras de se obedecer;
  • A Lei não tem a Verdade, que nos dá força; pois é somente a sombra do que haveria de vir;
  • A Lei não traz a Glória, que nos deixa maravilhados; antes vergonha e culpa, pois indica a nossa condição de miseráveis e pecadores.

 

Apesar da “carne” não mais habitar hoje entre nós, Jesus é real! Ele vive e continua a impactar as nossas vidas! Porque a graça é suficiente para nós, a verdade nos dá força para viver, e a glória nos deixa maravilhados! Celebre o verdadeiro Natal com Jesus! E que Deus abençoe a sua casa e toda a sua família!!!

Texto: Kátia Victoriano. Compilado da ministração do pr. Joel Stevanatto em 20.12.2020 na Casa de Oração para todos os Povos – Igreja OBPC Mandaqui – “Amando Deus e Pessoas”.

Crescimento em Deus

Deus está entre nós

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 20 de dezembro

Deus está entre nós
20 de Dezembro de 2020
João 1.14

 

Isso não é extraordinário? Aquele que fez todas as coisas e é Deus sobre tudo e sobre todos, deixou a Sua glória para se fazer homem por alguns anos. Dessa forma, Ele ficou sujeito a tudo o que também estamos sujeitos com o propósito de resgatar a nossa condição de filhos de Deus que havíamos perdido por causa do pecado. Ele morreu, ressuscitou e prometeu estar sempre entre nós. Então devemos nos alegrar em qualquer circunstância, pois se Ele fez isso, então o que não fará para nos ajudar nos momentos de nossas maiores dificuldades? Te convido a tomar uma postura de coragem diante dos seus desafios, pelo simples fato de que Ele prometeu que estará com você. Não importa o que aconteça, lem- bre-se sempre que Jesus está entre nós. Você não o verá fisicamente, mas poderá ver a Sua glória na forma como Ele encaminha as situações para aliviar a sua dor e lhe dar condições de viver de maneira digna. Acredite sempre que Ele está com você!

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020 Pr. Joel Stevanatto Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

A consagração para conquistar as promessas

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 13 de dezembro

A consagração para conquistar as promessas – 13 de dezembro de 2020 – Josué 5.10-15.

Quando se fala em consagração, precisamos diferenciar a dedicação a Deus refletida por atitudes de obediência, com esforço e disciplina; de “atos consagratórios”, que nem sempre expressam a verdadeira consagração. Pessoas consagradas são sempre constantes em Deus, independente de circunstâncias, porque entendem que dedicar-se a Deus é mais importante do que dedicar-se a quaisquer outras tarefas.

No texto citado acima, vemos que Josué era um homem dedicado a Deus, pois era zeloso em tudo o que fazia (Pv 22.29) e acima de tudo, consagrado ao Senhor.

Josué e o povo dedicaram-se a Deus, antes mesmo de dedicar-se a conquistar a terra prometida. Veremos a seguir como foi isso, através de 3 atos que ele deliberou no meio de Israel:

  • Por meio da circuncisão. (Js 5.2). Significava separação e obediência. Israel era diferente dos outros povos. Era separado para Deus. A circuncisão era um ato de obediência que declarava essa verdade;
  • Por meio da celebração da Páscoa. (Js 5.10). Significava uma memória de gratidão, acompanhada de louvor. Aleluia! Fomos salvos por Jesus e temos a vida eterna! Isso já é o bastante para termos esse sentimento de gratidão e louvor, e nos dedicarmos 100% ao Senhor com alegria!
  • Por meio da intimidade com Jesus. (Js. 5.14). Josué busca intimidade com o Senhor através da adoração, serviço e santidade. Adora, mediante a identificação de quem é Jesus. Está disposto a fazer o que Ele manda mediante o reconhecimento de que Ele é o Senhor! Isto é maravilhoso!

 

Nosso pastor Joel ainda nos apresenta um outro personagem bíblico, que também expressa uma vida de consagração a Deus: o rei Ezequias (capítulos 29 e 30 de II Crônicas) que acima de tudo restaurou o culto ao Senhor, e convocou o povo e os sacerdotes à verdadeira consagração. Vamos aprender através da vida desse rei, 4 atitudes importantes de consagração:

  • Inclinar o coração (II Cr 29.34). Os levitas inclinaram o coração para restabelecer o culto a Deus;
  • Ter humildade para obedecer (II Cr 30.8). Os israelitas são chamados a abandonar a teimosia, e servirem ao Senhor com integridade de coração;
  • Não se deixar intimidar pelos profanos (II Cr 30.10). Enquanto mensageiros andavam pelas ruas chamando o povo à consagração, alguns homens ímpios zombavam e escarneciam deles;
  • Afastar-se dos ídolos (II Cr 30.14). Todos os lugares de adoração a outros deuses foram destruídos, declarando-se que só o Senhor é Deus!

 

A consagração genuína implica em uma vida pessoal com Deus, onde os atos de obediência e humildade refletem apenas a intimidade que já existe entre a criatura e o seu Criador. Aí nasce uma relação de confiança e amor, onde a dedicação se torna evidente, e nos blinda dos problemas externos que não podem nos abalar!

Consagre sua vida ao Senhor, confie no Seu agir, e no tempo certo, na hora certa, você verá a concretização das promessas que Ele lhe fez! Esta é a chave da sua vitória!

Texto: Kátia Victoriano. Compilado da ministração do pr. Joel Stevanatto em 13.12.2020 na Casa de Oração para todos os Povos – Igreja OBPC Mandaqui – “Amando Deus e Pessoas”

Crescimento em Deus

Semana 51 - A consagração para conquistar As promessas

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 13 de dezembro

A consagração para conquistar as promessas
13 de Dezembro de 2020
Josué 5.10-15

 

O ponto final da peregrinação de Israel pelo deserto de Sim foi o lugar que seria o ponto de partida para a conquista de Canaã. O lugar era conhecido como a planície de Gilgal. Gilgal aparece como cenário em diversas passagens importantes do Antigo Testamento, e dentre elas, destaco que ali foi a principal base de operações de Israel na conquista da Terra Prometida, sendo estabelecidas ali doze pedras comemorativas. Foi dali também que Josué liderou a campanha contra Jericó. Contudo, saliento que Gilgal foi o local da consagração de todos os homens nascidos no deserto, que não haviam sido circuncidados. A grande lição no milagre de Gilgal foi que a obediência em atos de consagração a Deus e na busca da santidade, é mais importante do que estratégias e planos para se alcançar propósitos e materialização das promessas de Deus. Você pode se dedicar por inteiro, mas se não for santificado, seus esforços serão inúteis no que tange às promessas de Deus.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020 Pr. Joel Stevanatto Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Semana 50 - Tomando posse do milagre

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 6 de dezembro

Tomando posse do milagre
06 de Dezembro de 2020
Deuteronômio 11.8

 

A Bíblia apresenta cerca de 8 mil promessas, sendo 5 mil no Antigo Testamento e 3 mil no Novo Testamento. Parte dessas promessas é direcionada para alguém em de- terminado lugar e numa situação especifica, mas a maioria das promessas é aplicável para a vida de todas as pessoas que creem em Deus. As promessas são marcadas por fenômenos sobrenaturais, mas na maioria dos casos requer a participação humana, seja por meio da fé, da obediência a algum mandamento dado pelo Senhor, ou por alguma atitude ousada, acompanhada de adoração e clamor. O fato é que as promessas são abstratas e precisam ser materializadas para que sejam significativas, e nesse ponto a participação do crente é essencial. Deus diz “Eu te darei”, todavia, possuir aquilo que Deus prometeu depende do posicionamento do crente para tomar posse, primeiro da promessa, e depois de ações, posturas ou comportamentos que materializam a promessa. Não seja daquelas pessoas que ficam esperando Deus fazer tudo, mas ofereça sua vida a Deus para que tudo seja feito!

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020 Pr. Joel Stevanatto Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Semana 49 - O propósito do milagre

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 29 de novembro

O propósito do milagre
29 de Novembro de 2020
João 9.1-41

 

O capítulo 09 de João indica que o grande problema da humanidade é a cegueira espiritual, mas Jesus faz o milagre de curar esse tipo de cegueira. O cego de nascença é curado física e espiritualmente, sendo a cura espiritual o propósito de todos os milagres. Não é o deficiente que se interessa pela cura, mas sim o Senhor, pois o homem fica passivo e Jesus age. Assim se desenvolve a salvação daquele que crê, pois é pela graça que somos salvos. Jesus afirma aos discípulos que Ele é a luz do mundo, e depois cura o cego de nascença. Jesus não restaurou, mas gerou a visão naquele homem. Assim acontece com todos os que são curados da cegueira espiritual. O homem a quem Jesus deu visão veio perceber, gradativamente, quem era Jesus. Primeiro o aponta como “o homem chamado Jesus”, depois afirma que Ele é um profeta, que é de Deus e que é o Senhor. Essa é a maior evidência de que alguém foi curado da cegueira espiritual: entregar-se ao senhorio de Jesus.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020 Pr. Joel Stevanatto Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Curando através da enfermidade

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 22 de novembro

Curando através da enfermidade – 22 de Novembro de 2020
II Re 15.1-8 (II Cr 26.1-15) e II Co 12.7-10

 

A começar do título desta mensagem, é importante que entendamos que muitas vezes Deus usa de circunstâncias contrarias à nossa vontade, para nos corrigir sobre erros que estamos cometendo ou que venhamos a cometer. Rm 8.28 diz: “… que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito”. Só Ele tem a forma certa de agir em nossa vida.

A título de exemplo, veja comigo a tratativa de Deus na vida de 3 homens, a fim de evitar um mal maior:

* Jacó tornou-se manco, para ser curado da sua “malandragem” – (Gn 27.36);                                                                     * José passou por todo um processo para ser curado da sua “imaturidade” – (Gn 37-50);                                                           * Balaão precisou ser humilhado por uma mula, para ser curado da sua “teimosia” – (Nm 22).

Mesmo que não entendamos, Deus sabe como tratar com cada um de nós, e faz isso de forma artesanal! Portanto, analisaremos agora a vida de 2 personagens bíblicos: Uzias, no Antigo Testamento; e Paulo, no Novo Testamento, e como ambos foram tratados, pelo Senhor, no seu orgulho.

  • Uzias tornou-se orgulhoso devido aos seus predicativos. II Cr 26.16: “Mas, depois que Uzias se tornou poderoso, o coração dele se exaltou para a sua própria ruína…” Vemos no texto sagrado que Uzias fez o que era reto aos olhos do Senhor (v.4) propondo-se a buscar a Deus; venceu batalhas, Deus o ajudou (v.7); construiu torres (v.9); teve muitos empregados (v.10); preparou um forte exército (v.11); enfim a sua fama se espalhou de tal forma, que ele se tornou orgulhoso e Deus precisou intervir… E como Deus interviu, trazendo-lhe a cura? Através da lepra (versos 19-21);
  • Paulo poderia tornar-se orgulhoso pela sua espiritualidade. II Co 12.7: “E, para que eu não ficasse orgulhoso com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne…”. Paulo teve visões e revelações maravilhosas do Senhor! Ele foi arrebatado até o 3º céu e viu coisas que ele mesmo denominou de “indizíveis” dada a sua grandeza! E como Deus, de forma “preventiva” trouxe-lhe a cura? Colocando um espinho em sua carne, a fim de não permitir que ele se exaltasse.

 

Com o “espinho” de Paulo aprendemos que:

  1. O propósito de Deus é irrevogável. II Co 12.8: Três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim”. Tem situações na minha e na sua vida em que não adianta orar; porque estamos num tratamento de Deus. E os “espinhos” terão que permanecer para que o propósito se efetive.
  2. A Graça de Deus é o suficiente. II Co 12.9: “Ele me disse: a minha Graça é o suficiente para você…”. Aleluia! Paulo aprende e nos ensina que a graça do Senhor é o que nos sustenta e abençoa!
  3. Precisamos da nossa fraqueza. II Co 12.9b: “…porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. ” É por meio da dificuldade que nos aproximamos mais de Deus, e o Seu poder se manifesta em nós.
  4. Devemos nos alegrar durante o processo. II Co 12.9-10b: De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas… Por isso sinto prazer nas fraquezas…”. Sabemos que não é fácil se gloriar nas fraquezas; mas o tratamento de Deus em nós é o que trará a cura. Passe por ele louvando ao Senhor!

 

Concluímos que tanto Paulo como Uzias estavam doentes e foram tratados pelos métodos de Deus, porém os efeitos foram distintos. O espinho na carne de Paulo fez dele um grande apóstolo, com diversas citações bíblicas, pois o tratamento de Deus teve efeito! Já na vida de Uzias, o resultado parece não ter sido tão eficaz: “… por ser leproso, morou numa casa separada, porque foi excluído da casa do Senhor…” II Cr 26.21.

Deus tem suas formas particulares de agir no físico, a fim de curar a enfermidade que pode matar a alma. E às vezes aquilo que parece ser tão dolorido, na verdade é apenas a “vacina” de Deus que te trará a cura! A questão é: Como você reage ao tratamento de Deus? Limitado e amargurado como Uzias? Ou aprende, como Paulo, que através da graça de Deus você pode todas as coisas porque sabe que o Poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza? Note que Deus usa o espinho na carne como um “revelador” de Seus propósitos! Por isso se alegre na sua fraqueza! Para que o poder de Deus se manifeste na sua vida e você possa como Paulo declarar: “… quando sou fraco, então é que sou forte” II Co 12.10. Permita-se ser tratado por Deus!!!

Texto: Kátia Victoriano.
Compilado da ministração do Pr. Joel Stevanatto em 22.11.2020 na Casa de Oração para todos os Povos – Igreja OBPC Mandaqui – “Amando Deus e Pessoas”.

Crescimento em Deus

Semana 48 - Curando através da enfermidade

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 29 de novembro

Semana 48
Curando através da enfermidade
22 de Novembro de 2020
II Re 15.1-8 (II Cr 26.1-15) e II Co 12.7-10

 

O capítulo 09 de João indica que o grande problema da humanidade é a cegueira espiritual, mas Jesus faz o milagre de curar esse tipo de cegueira. O cego de nascença é curado física e espiritualmente, sendo a cura espiritual o propósito de todos os milagres. Não é o deficiente que se interessa pela cura, mas sim o Senhor, pois o homem fica passivo e Jesus age. Assim se desenvolve a salvação daquele que crê, pois é pela graça que somos salvos. Jesus afirma aos discípulos que Ele é a luz do mundo, e depois cura o cego de nascença. Jesus não restaurou, mas gerou a visão naquele homem. Assim acontece com todos os que são curados da cegueira espiritual. O homem a quem Jesus deu visão veio perceber, gradativamente, quem era Jesus. Primeiro o aponta como “o homem chamado Jesus”, depois afirma que Ele é um profeta, que é de Deus e que é o Senhor. Essa é a maior evidência de que alguém foi curado da cegueira espiritual: entregar-se ao senhorio de Jesus.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020 Pr. Joel Stevanatto Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Levando Deus a sério

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 15 de novembro

Levando Deus a sério – 15 de Novembro de 2020
Josué 10.12-14

 

Através desta mensagem, aprenderemos que quando levamos a sério o que o Senhor fala conosco, Ele também leva a sério o que nós falamos com Ele, por meio da oração. Infelizmente hoje o mundo tem “brincado” com Deus, e por isso não compreendem a importância da oração que realmente funciona.
Quando em meio à batalha, Josué ora a Deus no texto citado, de forma que o sol se detém e a lua para, isso não é fruto de uma oração qualquer. Na verdade, é o resultado de um relacionamento com Deus construído durante 40 anos de aliança! Josué impressionava a Deus por sua obediência, e tinha certeza de suas orações. Por isso Deus pelejava por ele, nas suas batalhas! Observe: Deus não luta pela causa, mas sim pela “pessoa” que tem a causa. A pessoa que através da sua obediência incondicional a Deus, recebe o milagre da intervenção divina em meio aos problemas da vida. Deus chegou a mudar a rotação da Terra, para atender ao pedido “absurdo” de um servo Seu que O impressionara!
Agora por que será que existem pessoas que oram, mas não são atendidos? A bíblia nos responde que alguns “… pedem e não pedem e não recebem, porque pedem mal, para esbanjarem em seus prazeres”. Tg 4.1-3. Não buscam a orientação e sabedoria de Deus, e por isso acabam por se frustrar.
O verso 14 do texto de Josué 10 nos diz que: “Não houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele, tendo o Senhor, assim, atendido à voz de um homem…” Aleluia! Josué construiu um relacionamento em que Deus confiava nele! Certamente se eu perguntar se você confia no Senhor, você responderá que sim. Mas, e se eu perguntar se Deus confia em você, qual seria a sua resposta?
Para se construir uma relação de confiança com Deus, além de tempo, quero destacar aqui 2 aspectos de suma importância:

1º – Josué levava a sério a sua própria palavra – Vemos nas histórias de suas guerras descritas na bíblia sagrada, que ele honrava o que dizia, e o povo sabia disso. (Js 9.3 e 14 / Sl 15.2);

2º – Josué levava a sério a Palavra de Deus – Nos 40 anos em que Josué constrói uma relação genuína de confiança com Deus, ele O obedece em todas as Suas determinações. Deus ordena:

  1. Lidere esse povo – Deus o avisa que ele sucederia a Moisés, e ele não foge da ordem: Js 1.1-2;
  2. Circunde esse povo – Deus ordena a circuncisão de todos os meninos no 8º dia de vida, inclusive dos adultos que não haviam sido circuncidados, e Josué obedece: Js 5.2;
  3. Celebre a Páscoa – Mesmo em tempo de guerra, se Deus mandara celebrar a Páscoa, Josué obedece e celebra a Páscoa: Js 5.2,10;
  4. Cerque Jericó e a derrube – Por mais “estranha” que pareça a estratégia dada por Deus para a vitória, Josué obedece sem questionar, e saí vitorioso: Js 6.3-5.

Diante disso, o nosso pr. Joel redige a seguinte conclusão:
“Somente a obediência incondicional aos ‘absurdos’ que Deus nos ordena ou pede, pode gerar uma condição onde os ‘absurdos’ que nós pedimos a Deus sejam atendidos”.

Pense nisso. Leve Deus a sério, e construa uma relação sólida de confiança com Ele!

Texto: Kátia Victoriano.
Compilado da ministração do Pr. Joel Stevanatto em 15.11.2020 na Casa de Oração para todos os Povos – Igreja OBPC Mandaqui – “Amando Deus e Pessoas”.

Crescimento em Deus

Semana 47 - Levando Deus a sério

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 15 de novembro

Levando Deus a sério – 15 de Novembro de 2020
Josué 10.1-14

Durante a batalha de Jericó Josué precisava consolidar a vitória que se apresentava. O dia estava acabando e com a noite, as tropas se recolheriam em seus acampamentos, e com isso, Jericó poderia montar novas estratégias e se refazer da surra que estava tomando. Josué precisava de um dia maior e foi isso que pediu ao Senhor. Contrariando as leis da natureza firmadas por Ele mesmo, Deus atendeu ao pedido do seu servo e gerou um milagre. O relato culmina informando que: “nunca antes nem depois houve um dia como aquele, quando o Senhor atendeu a um homem” (vs. 14). Josué, desde sua mocidade, foi um homem que levou a sério as ordens que Deus dava; e, com uma visão otimista, atendia e cria no que Deus mandava como sendo o melhor. Você tem se credenciado em ser ouvido e atendido por Deus quando precisa de um milagre? O credenciamento vem pela construção de uma vida marcada por atos de obediência às ordens divinas devido a uma confiança inabalável no amor de Deus por sua vida.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020
Pr. Joel Stevanatto
Amando Deus e pessoas.

Crescimento em Deus

Vivendo acima dos problemas!

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 8 de novembro

Vivendo acima dos problemas! – 08 de Novembro de 2020
Mateus 14.22-36

Esta passagem tão conhecida, em que Jesus anda sobre as águas, remete aos nossos problemas do dia a dia em pleno século XXI. Vemos ali o apóstolo Pedro, que apesar de ser perito pescador, em meio ao grande perigo do mar, ele clama a ajuda do Senhor. Pedro não estava apenas envolvido pelo problema; na verdade o problema já tomara conta dele, e o fazia submergir em desespero. Mas a boa notícia é que Jesus estava lá e o problema não O envolvia! Por isso não focaremos aqui na vida de Pedro; mas em Jesus, pois Ele é o nosso modelo e devemos aprender Dele – “Aprendam de mim” como Ele nos ensinou: Mt 11.29.
Todos nós passamos pelas “ondas” desta vida, e não podemos submergir em meio às dificuldades, pois o nosso Modelo nos ensina a “caminhar sobre as águas”! Que o Espírito Santo te lembre disso: Você foi chamado para ser igual a Jesus! E mesmo quando o vento soprar forte, o Senhor te socorrerá!
Aprendemos com Jesus, as 3 posturas que compõem uma receita completa para andarmos sobre as águas, e não sermos envolvidos pelos problemas. Detalhe importante: eram comportamentos habituais de Jesus.
1 – Importar-se com pessoas. Mt 14.22: “Ele despedia as multidões”. Jesus não buscava os seus interesses, mas cuidava das pessoas que estavam perto. I Co 13.5 diz “… o amor não busca os seus interesses…” Jesus anda sobre as águas porque não se preocupava consigo, mas com o bem-estar dos outros. Deus cuida de você, quando você cuida de outros. Deus cuida daquele que está despreocupado consigo mesmo!

2 – O valor da solidão. Mt 14.23: “A fim de orar sozinho…lá estava ele, só”. Quando Jesus reserva um tempo para ficar só, Ele busca conectar-se com Deus sem distrações. Jesus fez isso para buscar equilíbrio e lembrar quem Ele era. Nos ensinando que além de orar, precisamos estar sozinhos para OUVIR e SENTIR DEUS em nós… É na solidão que vemos quem nós somos, e quem é Deus na nossa vida!

3 – Cuidar dos seus. Mt 14.25: “Jesus foi até onde eles estavam”. Ele cuidava da necessidade dos seus, em todos os sentidos. Ele sabia o que os discípulos estavam enfrentando. Ele sabe a intensidade do vento na sua vida, e assim como Ele fez com os discípulos, hoje Jesus também vai até você! E para cuidarmos dos nossos, precisamos identificar quem são eles. Os que cuidam dos seus, não os deixam passar necessidades físicas ou emocionais. Jesus chega justamente na hora em que seus discípulos estavam mais necessitados!

Cuide dos seus para que não haja carências físicas ou emocionais. I Tm 5.8: “Se alguém não tem cuidados dos seus, e especialmente dos da sua própria casa, esse negou a fé e é pior que o descrente”.
Vemos no contexto dessa mensagem, Jesus apresentando 3 atitudes para cuidar dos seus:
1 – Jesus os encoraja – v. 27: “Mas Jesus imediatamente lhes disse: Coragem! Sou eu. Não tenham medo”!
2 – Jesus os auxilia – v. 31a: “E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, o segurou…”
3 – Jesus os corrige – v. 31b: “Homem de pequena fé, por que você duvidou”?

Encontramos nos três evangelhos onde este maravilhoso episódio está escrito, 3 narrativas distintas dos discípulos de Jesus, que nos trazem grande ensinamento:
Mt 14.33 – “Os que estavam no barco O adoravam…”
Jo 6.21 – “Então eles o receberam com alegria, e logo o barco chegou ao seu destino”.
Mc 6.51,52 – “… Ficaram totalmente perplexos, porque não haviam compreendido o milagre dos pães, pois o coração deles estava endurecido”.
Logo, mesmo que você não entenda o que está passando, adore e receba Jesus com alegria! Não endureça o seu coração, pois só então, você poderá andar sobre as águas! Deus seja louvado!

Texto: Kátia Victoriano.
Compilado da ministração do pr. Joel Stevanatto em 08.11.2020 na Casa de Oração para todos os Povos – Igreja OBPC Mandaqui – “Amando Deus e Pessoas”.

Crescimento em Deus

Semana 46 - Vivendo acima dos problemas

Pr. Joel Stevanatto Pr. Joel Stevanatto 8 de novembro

Vivendo acima dos problemas – 08 de Novembro de 2020
Mateus 14.22

Aqui aprendemos que na obediência teremos problemas, mas o milagre sempre se fará presente quando buscarmos uma solução em Deus! Os discípulos passam por perigo quando, em alto mar durante a noite, tem a embarcação assolada por uma tempestade. Eles estavam ali para atender uma ordem de Jesus e, por isso, Jesus anda sobre as águas e vem ajudá-los. Pedro pede ao Senhor para ir ao seu encontro também andando sobre as águas ao que Jesus ordena: “Venha”! Pedro andou um pouco e depois começou a afundar. Jesus estende a mão e o socorre. Ambas as situações de perigo nascem depois da obediência prestada ao Senhor, mas o milagre do socorro e livramento acontecem. No mundo natural onde os milagres não acontecem, as pessoas andam no terreno sólido dos seus raciocínios lógicos, todavia nas dificuldades precisam usar da mesma lógica que os dirigiu para aquele caminho no qual não foram bem-sucedidos, para encontrar soluções. No entanto, na vida do sobrenatural, os pés se apoiam na fé; e, quando surgem problemas, o Senhor Jesus sempre tem pés para caminhar e mãos para socorrer àqueles que são obedientes aos Seus mandamentos.

Agenda Apascentai O Pequeno Rebanho 2020
Pr. Joel Stevanatto
Amando Deus e pessoas.

Apascentai O Pequeno Rabanho 2021 – Agenda, Devocional diário, Manual de Grupos Pequenos e Sistema eclesiástico.

Saiba Mais

E-BOOKS

Apascentai O Pequeno Rebanho 2021

Agenda, Devocional diário, Manual de Grupos Pequenos e Sistema eclesiástico.

Comprar

Qual a sua contribuição?

  • Oferta
  • Dízimo
"Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa..."

- Malaquias 3.10

Segure e arraste para trocar o cartaz.